Jornais

Newsletter

cadastre-se para receber novidades

ADILSON ARAÚJO: NOSSA LUTA EM DEFESA DOS DIREITOS CONTINUARÁ EM 2018

Publicado em: 2018-01-04

2017 foi um ano de intenso enfrentamento contra a agenda regressiva imposta pelo capital através do governo ilegítimo de Michel Temer, um ano de reafirmação da unidade e compromisso do movimento sindical com os interesses da classe trabalhadora, um ano de aprendizagem para as batalhas que enfrentaremos em 2018.

E ao final de mais um ciclo, a CTB (Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil) se congratula com todos os homens e mulheres que, ao longo deste ano, empunharam a bandeira de defesa dos direitos sociais e trabalhistas. A classe trabalhadora brasileira e o movimento sindical, mesmo sob duro ataque, não se furtou ao debate político e nem ao chamamento para a luta nas ruas em todo o Brasil.

Unidos e em defesa dos interesses da classe trabalhadora brasileira, construímos a maior greve geral já vista neste país, bem como uma grande marcha em Brasília. E não foram poucos os atos, paralisaações e manifestações para denunciar a aliança dos setores conservadores, que tem sua maior expressão no golpe do capital contra o trabalho.

CTB completa 10 anos e se firma como uma central classista e de luta

A aliança das classes dominantes em torno de um projeto radical de restauração neoliberal ataca por todos os lados. Ela desmonta o Estado, com o congelamento por 20 anos dos investimentos públicos nas áreas sociais, e a onda de privatizações que entrega de bandeja riquezas naturais e patrimônios como a Petrobras, Pré-sal, Eletrobras, entre outras; essa aliança também impõe a terceirização sem limites, que abre caminho para a precarização; e piora, quando consegue aprovar a “reforma” trabalhista, proposta que condena nosso povo à escravidão moderna.

As mudanças na legislação trabalhista acenam para um retrocesso secular nas relações entre capital e trabalho, estabelecendo o primado do negociado sobre o legislado, flexibilizando as jornadas, criando a figura infame do trabalho intermitente, generalizando a terceirização da economia.

E mais, ataca frontalmente o movimento sindical. Alvo prioritário da ofensiva golpista. Com apoio do Congresso Nacional, um dos mais venais de que se tem notícia, o governo ilegítimo tenta estrangular, financeiramente, as entidades representativas dos trabalhadores e trabalhadoras interditando as fontes de sustentação das lutas sindicais.

E o saco de maldades não para pior aí. A gestão Temer ainda espera impor uma “reforma” na Previdência Social. A proposta de alteração nas regras da Previdência prejudica quem trabalha, ameaça o direito à aposentadoria e favorece o sistema previdenciário privado.



No ano em que a CTB completa 10 anos, reiteramos nosso comprometimento com as lutas do nosso povo e referendamos nosso projeto de sindicalismo classista, com o compromisso em construir um projeto nacional que tenha por centro a valorização do trabalho.

Tal como nos últimos 10 anos, a CTB seguirá firme na organização, mobilização e resistência nas ruas e no Congresso Nacional. E a unidade e diálogo serão fundamentais na próxima etapa.

2018 será um ano de grandes lutas e novos desafios para a nossa a Central o povo brasileiro. É preciso empenhar toda nossa energia no esforço de mobilização e conscientização das bases nas batalhas para barrar a ofensiva conservadora e lidera o golpe do capital contra o trabalho. Só assim recolocaremos a nação brasileira no caminho do desenvolvimento soberano com democracia, valorização da classe trabalhadora e distribuição de renda.

Adilson Araújo
Presidente Nacional da CTB

Fonte: Portal CTB